TOP 2009

Enquanto se queimam os últimos cartuchos de um atribulado 2009, chega agora a hora de fazer o balanço do que mais e com mais gosto se ouviu aqui em casa.
No geral parece-me que tivémos bons álbuns mas não houve um que se destacasse e que eu dissesse claramente à partida "é este o meu álbum preferido do ano". Depois de uns tempos a pensar no assunto decidi atribuir o título aos Franz Ferdinand. Tonight marca uma evolução no som da banda e prova que os Franz Ferdinand se souberam reinventar e rejuvenescer sem perder a identidade (tal como os Yeah Yeah Yeahs, que perderam "o título" no photofinish), serve de reconhecimento a uma das bandas que mais me acompanhou na última década e também pelo magnífico concerto em Paredes de Coura. É fácil que no Campo Pequeno tenha sido ainda melhor mas como a comparação que tenho é o concerto do SBSR06, posso garantir que o deste ano no Minho foi ainda melhor...
Destaco ainda as excelentes estreias de gente como os Passion Pit, Lost Valentinos, The XX, La Roux, The Big Pink ou a grande estreia a solo de Julian Casablancas. Houveram ainda fenómenos curiosos que marcaram a diferença como o escuro e hipnótico álbum de Karin Dreijer Andersson (The Knife) sob o nome de Fever Ray ou os The Horrors que aparecem a reinventar-se logo ao segundo disco - e pelos vistos não vão ficar por aqui... - e arrancam um álbum notável.
Por cá este foi um ano em que não se ouviu muita música nacional mas devo acrescentar que o grande Legendary Tigerman tem um disco fabuloso, digno de figurar num qualquer top internacional. Destaco ainda o EP Mirror People do "X-Wife" Rui Maia.
2010 , espera-se, vai começar a década em grande e deverá deixar este ano que passa à sua sombra. Era bom bom sinal que assim fosse... as expectativas estão em altas!

ÁLBUNS INTERNACIONAIS

Álbum do ano:
Franz Ferdinand - Tonight

Outros 20 álbuns que marcaram o meu ano (apenas por ordem alfabética):

_Depeche Mode – Sounds Of The Universe
_Desire – II
_Editors – In This Light On This Evening
_Fever Ray – Fever Ray
_IAMX – Kingdom Of Welcome Addiction
_Juan Maclean – Future Will Come
_Julian Casablancas – Phrazers For The Young
_Junior Boys – Begone Dull Care
_Kasabian – The West Rider Lunatic Asylum
_La Roux – La Roux
_Lost Valentinos – Cities Of Gold
_Patrick Wolf – The Bachelor
_Passion Pit – Manners
_Tiga – Ciao!
_The Big Pink – A Brief History Of Love
_The Gossip – Music For Men
_The Horrors – Primary Colours
_The XX – The XX
_Who Made Who – The Plot
_Yeah Yeah Yeahs – It’s Blitz!

5 COMPILAÇÕES

_V.A. - Beyond The Wizard’s Sleeve: Re-Animations Vol. 1
_V.A. - Greg Wilson: Credit To The Edit Vol.2
_V.A. - Kitsuné Maison Vol. 7
_V.A. - Kitsuné Maison Vol. 8
_V.A. - Zevolution: Ze Records Re-Edit

50 FAIXAS
(excluindo as presentes nos álbuns acima referidos)

_Andrew Weatherall – Walk Of Shame
_Arctic Monkeys – Cornerstone
_Bad Lieutenant – Sink Or Swim
_Bat For Lashes – Daniel
_Beirut – Nantes
_Bottin – No Static
_Chew Lips – Salt Air
_Calvin Harris – Ready For The Weekend
_Classixx - I'll Get You (feat. Jeppe)
_Datarock – Give It Up
_ Detachments – The Flowers That Fell
_DJ Hell feat. Bryan Ferry – U Can Dance
_Esser – Headlock
_Fan Death – Reunited
_Fischerspooner – We Are Electric
_Filthy Dukes - This Rhythm
_Fires Of Rome – Bronx Bombadier
_FrYars – Visitors (feat. Dave Gahan)
_Girls – Lust For Life
_Golden Silvers - Arrows of Eros
_Heads We Dance - Work It Out (feat. Little Boots)
_Hercules & Love Affair – I Can’t Wait
_Holy Ghost – I Will Come Back
_Jarvis Cocker – Angela
_Jesse Rose– Forget My Name (feat. Hot Chip)
_Julian Plenti – Fun That We Have
_LCD Soundsystem – Bye Bye Bayou
_Little Boots – Stuck On Repeat
_Little Dragon – Swimming
_Memory Tapes – Bicycle
_Miike Snow – Animal
_O. Children – Dead Disco Dancer
_Pony Pony Run Run – Hey You
_Reverend And The Makers - Silence Is Talking
_Simian Mobile Disco – Audacity Of Huge
_The Asteroids Galaxy Tour – The Golden Age
_THE BPA – Toe Jam (feat. David Byrne & Dizzee Rascal)
_The Glass – Wanna Be Dancin
_The Golden Filter – Thunderbird
_The Invisible – London Girl
_The Phenomenal Handclap Band – Wou’ll Disappear
_The Very Best - Warm Heart Of Africa (Feat. Ezra Koenig)
_Two Door Cinema Club - Something Good Can Work
_Wave Machines – I Go I Go I Go
_White Lies – To Lose My Life
_White Rabbits – Percussion Gun
_Whitest Boy Alive – Islands
_Wild Beast – All The King’s Men
_Woolfy – Oh Missy
_Yacht – Summer Song

15 REMISTURAS

_Adam Kesher – Local Girl (The Shoes remix)
_Au Revoir Simone – Another Likely Story (Aeroplane remix)
_Bombay Bicycle Club - Always Like This (James Rutledge remix)
_Depeche Mode - Wrong (Trentemoller remix)
_Fever Ray – Seven (The Twelves remix)
_Florence and The Machine - You Got The Love (The XX remix)
_Gang Gang Dance - House Jam (Hot Chip remix)
_Grizzly Bear - Two Weeks (Fred Falke remix)
_Little Boots – New In Town (Golden Filter remix)
_O. Children - Dead Disco Dancer (The Golden Filter remix)
_Passion Pit – The Reeling (Calvin Harris remix)
_Phoenix - Lisztomania (Classixx remix)
_Polly Scattergood - Please Don't Touch (The Golden Filter remix)
_The Killers – Joy Ride (night version)
_The Shoes – People Movin (La Mode remix)

Como é natural estas listas são infinitamente discutíveis visto reflectirem apenas os meus gostos e as minhas preferências e não obedecendo a nenhum critério de crítica (se é que realmente os há...). Assim, gostaria de saber o que acham e ter também aqui outras opiniões. Não hesitem em comentar. Podem ainda recordar as listas de 2008 e 2007.

O senhorio deseja a todos um óptimo 2010 e já agora, que voltem sempre!
Até lá!

4 comentários:

playlist disse...

Caro Breites, gostei do que vi nas tuas escolhas..os EDITORS merecem ser destacados, sem dúvidas!

O álbum dos franz ferdinand é fantástico!! Tem um baixo incrivel ao longo do álbum. Viciante!

Um abraço e um 2010 que vá de encontro aos teus desejos.

O Astronauta disse...

Amigo Breites,
ora, aqui está um balanço no qual me revejo, sem os "Animals Collectives", "Grizzly Bears", "Micachus" e outras "indie-tretas" que agora fica bem gostar, quanto mais não seja para dizer que se é moderno e que se está atento à música "dos nossos tempos".
Sabes quando é que tens a certeza que um ano é fraco em matéria álbuns? Quando discos com os dos Animal Collective e Grizzly Bear são elevados à categoria de obra-prima. Já vi este filme tantas vezes, bandas serem colocadas em pedestais num ano e serem esquecidas no ano seguinte, que já não dou para este peditório. Quando vejo toda esta unanimidade em redor de certos discos e bandas, só me dá vontade de rir. Lembro-me de uns Happy Mondays (GRANDES!), uns Deee-Lite, uns Stereo MC's, uns Underworld, um Goldie, uns Thievery Corporation, uns Oasis e de outros "génios" que a imprensa musical canonizou e dos quais hoje ninguém quer saber. Acho engraçado toda esta euforia em redor de...nada. Deve ser a idade que me faz ver as coisas desta forma tão crua e realista. Estas "bandecas" ainda não provaram nada, no entanto, são tratadas como se fossem os novos Beatles, os novos Stones, os novos Talking Heads ou os novos Roxy Music. Como se alguma vez tivessem existido uns novos Beatles, uns novos Stones, uns novos Talking Heads ou uns novos Roxy Music. Se os Animal Collective e o Grizzly Bear são o som "indie" da nova geração, dos anos 2010s, não auguro nada de bom para os próximos tempos, meu caro.
Enfim...gostei bastante da lista.

Abraços

Breites disse...

Astro,
não vão ser o som dos 2010's porque não vamos deixar! :)
Valha-nos os Arcade Fire e mais uma ou duas excepções porque o resto ou são fracas imitações pós-Arcade Fire ou tipos armados em "olha aqui eu a misturar uns sons marados e a ser tão alternativo". Não há paciência...
Ainda assim, 2009 deu-me alguns discos que me irão acompanhar por bastante mais tempo, o que não deixa de ser bom sinal.

Playlist,
Como habitualmente destaco um disco dos outros, este ano poderiam ser uns 3 ou 4, uma vez que nenhum se destacou claramente. Mas em época de inúmeros balanços da década decidi "recompensar" os FF por tudo o que me deram.
Os Editors fecharam muito bem o ano aqui em casa. Depois de um single de avanço que assustou os mais puritanos conseguiram ter um álbum surpreendentemente denso e não tão óbvio. No final parece-me que conseguiram conquistar até os mais cépticos das electrónicas...

abraço aos dois
e atenção ao disco dos Delphic, que já anda por "ai"...

Simão disse...

Curiosamente, hoje venho aqui comentar os outros comentários porque de música já discuto contigo o suficiente.

Debruço-me essencialmente sobre o teu comentário e o do Astronauta, que me parecem no mínimo hipócritas e cínicos - especialmente nesta parte: «ora, aqui está um balanço no qual me revejo, sem os "Animals Collectives", "Grizzly Bears", "Micachus" e outras "indie-tretas" que agora fica bem gostar, quanto mais não seja para dizer que se é moderno e que se está atento à música "dos nossos tempos".»

Em primeiro lugar, por que razão é que se fazem listas dos anos em particular? Para opinar(e são tudo opiniões, Breites e Astronauta) sobre quais as bandas que marcaram os respectivos 365 dias. Se essas bandas são indie, rock, dance ou metal, estou-me pouco cagando. O que interessa é se deixaram marca. E há bandas, sobretudo no universo indie, coincidência ou não (e não há cá merdas de que é fixe ser alternativo, trata-se de qualidade musical e aí sei do que falo, pois sou músico), que se destacam mais que todas as outras. Porquê? Porque operam na diferença, na qualidade de se saberem distinguir e afirmar pela originalidade, não pelo que já foi feito. Se eu elogio os Micachu como elogio, é porque trazem algo de novo, reinventando sons e misturando a pop resultando numa sonoridade absolutamente diferente. Os Animal Collective, porque provaram que é possível fazer canções no meio de todo aquele caos, algo de salientar. Os Grizzly Bear, porque constroem música (e não é a partir de computadores, como a maior parte de toda a gente que diz fazer "música" hoje em dia) como poucos, harmónica e melodicamente invejáveis.

Os Beatles, os Stone Roses e outros tantos já eram. A música tem que evoluir, para não ficarmos sempre a suspirar de saudade. Aos 40 anos quero estar a gostar de coisas que, nesse ano, serão muitíssimo bem conseguidas, mesmo que depois se venham abaixo (o 2º disco dos Arcade Fire é claramente mais fraco, Breites), tal como pessoas como o meu pai, que cresceu a ouvir The Clash e Talking Heads e hoje em dia ouve coisas que demoram meses a entrar no ouvido. Mas se são coisas bem feitas, merecem ser ouvidas e respeitadas. Não é por não terem sido feitas no tempo dos Roxy Music que valem menos. Provavelmente até valem mais. A música é assim. Evolui. E para melhor.





p.s: Qualquer reclamação a fazer a este meu comentário podem direccioná-la furiosamente para o meu blogue, onde publicarei a mixtape que (curiosamente) elaborei com o Breites.